ago 17, 2015
399 Visualizações
0 0

Apesar da crise, o setor de segurança privada é um dos que mais crescem no brasil

Publicado por

A preocupação e o empenho na aprovação da lei que regulamenta a redução da maioridade penal no Brasil (PEC 171/1993) para dezesseis anos de idade é mais um reflexo da incômoda situação de insegurança pela qual estamos há tempos atravessando. Atrocidades são cometidas, por bandidos de todas as idades, a troco de quase nada na maioria das vezes. A sensação de insegurança é real e imediata, desde a hora em que colocamos os pés na rua, logo nas primeiras horas da manhã, e fica pior no retorno para casa. Desarmados por lei, somos reféns da bandidagem que maquina, dia após dia, novos e mirabolantes meios de nos tirar o suado dinheiro, a paz necessária e até mesmo a vida. Se não podemos contar prontamente com a Segurança Pública, o que fazer?

O Brasil possui um policial militar para cada 471 habitantes e um policial civil para cada 1.674 habitantes, segundo dados oficiais das Secretarias da Segurança dos estados. O cálculo foi feito considerando a estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para a população brasileira. Pouco mais de 430 mil policiais militares e 120 mil policiais civis. Considerando-se que somos hoje mais de 200 milhões de brasileiros, esse contingente é muito defasado. Mais do que necessária, é crucial a participação de empresas de segurança corporativa (ou patrimonial) na manutenção da paz e da ordem hodiernamente.

De acordo com o Mapa da Violência 2014, elaborado pela Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (Flacso), o Brasil tem uma taxa de 29 homicídios para cada 100 mil habitantes. Em busca de uma solução para essa mazela, também tem crescido a procura por equipamentos e soluções em segurança. O Brasil é o 11º país mais inseguro do mundo, segundo o Índice de Progresso Social (IPS) 2014. A violência é o principal item que puxa para baixo o desempenho do Brasil em qualidade de vida, dos 132 países analisados, de acordo com dados do relatório produzido pela organização sem fins lucrativos, Social Progress Imperative.

Sendo um dos setores que mais cresce no país, a segurança corporativa já tem um efetivo muito superior ao das forças policiais. É o quarto maior setor empregador, atrás apenas da construção civil, serviços domésticos e zeladorias. A expectativa para 2015 é de um efetivo de aproximadamente dois milhões de trabalhadores formados pelas escolas especializadas e regularizados com as exigências do Ministério da Justiça.

[section label=”O Grupo Souza Lima” anchor=”O Grupo Souza Lima”]

O Grupo Souza Lima

grupodesegurancaExistem mais de duas mil empresas de segurança privada no Brasil. Esse crescimento é um reflexo do déficit em investimentos no setor público no que tange à segurança. Dentre esses milhares, há um destaque especial para o Grupo Souza Lima, a empresa do setor que mais cresce no Brasil e que há mais 25 anos atua com excelência na segurança patrimonial, escolta armada, segurança pessoal, monitoramento eletrônico e serviços de recepção (portaria) e limpeza. Conta hoje com mais de 8.000 colaboradores, 800 veículos e 14 filiais para atender as necessidades de mais de 1.700 clientes.

O Grupo Souza Lima foi fundado em 1990, pelo então Coronel Souza Lima da Polícia Militar de São Paulo e nasceu totalmente voltado para os serviços de Segurança Patrimonial. Após várias adaptações e mudanças exigidas pelo mercado, a empresa presta serviços com a urgência e qualidade que o cliente precisa e com o profissionalismo inerente ao trabalho, além de ter seus processos certificados pela ISO 9001:2008 e por outras certificações mais especificas do mercado. No site da empresa você encontrará mais informações sobre cursos e treinamentos, especificidades sobre os serviços e muito mais.

[section label=”Especialização na área de segurança” anchor=”Especialização na área de segurança”]

Especialização na área de segurança

gruposouzalima

O Grupo Souza Lima oferece opção de treinamento especializado para mais de 8 mil colaboradores

Para alcançar a excelência de capacitação e performance no setor, a empresa de segurança e serviços realiza diversos testes como: audiovisual, psicologia ocupacional, autocontrole, conhecimentos gerais e técnicos, além de uma pesquisa completa dos candidatos e sua documentação. Treinamento também é um dos fatores que definem a qualidade dos serviços prestados neste competitivo mercado. Por isso o Grupo Souza Lima possui  departamento de Recursos Humanos que integra a necessidade dos clientes às características dos colaboradores, desenvolvendo manual de
procedimentos e apostilas para instruir e ajudar todas as pessoas envolvidas no cotidiano trabalho de segurança privada, escolta armada, monitoramento 24 horas por dia, entre outros serviços como portaria e limpeza.

Do ponto de vista acadêmico, para ingressar no setor de segurança, faz-se necessária a formação em centros especializados. Dentre eles, podemos citar a UNIP (Universidade Paulista), Universidade Anhanguera, Faculdade Estácio entre outras. Há também vários sites e blogs que oferecem dicas com os melhores cursos, além de bolsas e descontos em mensalidades. Neste sentido, vale destacar o Quero Bolsa. Uma verdadeira plataforma para estudantes universitários poderem economizar ao longo do curso. Com as principais faculdades privadas do país, o sistema oferece indica as melhores opções de cursos para o aluno e sua principal vantagem é ser menos burocrático no processo de validação do ingressante.

Para saber mais sobre o Quero Bolsa, leia este artigo Estudantes preferem o Quero Bolsa que o Mais Estudo e o Educa Mais Brasil. Acompanhe também o Blog do Quero Bolsa.

Quem optar por fazer carreira nesse segmento estará fazendo uma decisão muito acertada, devido a grande demanda atual por esses profissionais no mercado.

Fonte: Jornalismo Colaborativo

Assuntos Relacionados
Artigos · Educação e Cultura · Reportagens

Comments are closed.