jul 2, 2015
381 Visualizações
0 0

História da Quiromancia

Publicado por
Mulher com 92 anos praticando quiromancia.

Mulher com 92 anos praticando quiromancia.

Em diversas culturas, há milhares de anos, persiste a crença de que o destino individual está previsto nas mãos e  que cada palma, desde o nascimento, conserva na sua rede única de montes, vales e marcas, a chave para as possibilidades da vida. E dizem, também, que à medida que a pessoa amadurece, a palma de suas mãos refletem eventos significativos. Mas esses marcos do passado e sinalizações para o futuro são normalmente indecifráveis, exceto para alguns poucos que podem, supostamente, adivinhar o curso da vida de alguém através das mãos.

Numa leitura, o quiromante usualmente compara as mãos esquerda e direita do cliente.  As linhas e a forma geral da assim chamada mão passiva devem refletir o potencial inato da pessoa, enquanto as da mão dominante – caracteristicamente, aquela usada para escrever – revelam escolhas que o indivíduo fez e o que pode estar  por vir.

Na quiromancia, a análise da personalidade baseia-se na aparência da mão como um todo.  Entre os vários fatores levados em consideração nessa visão geral, a forma básica da mão é particularmente importante.  As mãos são classificadas em quatro tipos, representando os elementos da natureza – ar, terra, água e fogo.  As classificações são baseadas  na forma da palma e no comprimento dos dedos em relação a ela.  As palmas são tipicamente retangulares ou quadradas, com dedos longos ou curtos. Os dedos são considerados longos se o dedo médio  (chamado de dedo de Saturno, em quiromância) for, pelo menos, tão longo quanto a própria palma, e pequenos se esse dedo for menor.  Outros fatores que contribuem para a aparência da mão são as formas das pontas dos dedos e a disposição e flexibilidade do polegar.

O formato da ponta  de dedo de um indivíduo, os quiromantes sustentam, fornece intuições sobre seu caráter. São quatro as formas distintas de  ponta de dedo – cônica, redonda, quadrada e espatulada.

O dedo polegar é considerado por alguns quiromantes como a chave da personalidade.  É pensado, como revelando tanta coisa, que alguns quiromantes indus estudam apenas o polegar quando analisam o caráter do indivíduo.

As leituras mais completas de quiromantes profissionais podem incluir uma análise dos montes da palma, as almofadinhas de carne encontradas na base do polegar e de cada dedo e nas bordas externas da mão. Quanto maior o monte e quanto mais centrado em relação ao dedo correspondente, maior sua suposta inflência  sobre a  personalidade.  Saliências proeminentes são consideradas montes fortes ou altamente desenvolvidos, enquanto chatas ou apenas levemente elevadas são julgadas normais ou bem desenvolvidas.  Uma depressão na palma no lugar de uma almofadinha de carne constitui um monte fraco.

reading the lines hand in a woman's hands on grey backcground

A complexa rede de linhas discerníveis em cada palma é, supostamente, capaz de guiar cada um de nós ao longo da vida. Os quiromantes analisam nessas linhas não apenas o desenvolvimento de traços individuais de caráter  à medida que amadurecemos, mas também intuições do futuro. Armada desse conhecimento, dizem os crentes, uma pessoa pode  efetivamente atuar sobre eventos futuros.  As linhas da mão estão constantemente mudando: velhas linhas podem desaparecer ou se tornar mais claras;  novas linhas podem aparecer em questão de semanas.  Modificando o comportamento e mudando atitudes, sustentam os quiromantes, podemos mudar nossas linhas – e, portanto, nossas vidas – para alcançar nosso potencial.

A quiromância é uma arte que se adquire através do estudo e da paciência;  uma hábil capacidade de observação é essencial para uma leitura responsável. Durante uma análise das mãos, um quiromante conceituado irá examinar cuidadosamente as várias características encontradas. Os quiromantes irão observar, também, dezenas de outras marcas na página, já que mesmo as estrias mais sutís podem estar prenhes de satisfação.  Cada elemento é, em geral, descrito separadamente, e, em seguida, discutido no contexto  da mão, como um todo. Embora a maioria dos quiromantes  concorde quanto à significação  das mais importantes marcas da palma, as interpretações podem variar.

A leitura das mãos sempre foi o método favorito das artes ciganas,  E assim, permanece até hoje; lojas de quiromância geridas por ciganos florescem nas cidades e vilas de todo o mundo.  E apesar de eventuais queixas de práticas inescrupulosas, os clientes continuam a frequentá-las para conhecer sua sorte. Nada, parece, pode banir a imagem romântica do cigano pensativo, cujos negros olhos, penetrantes, fitam atentamente as palmas – e, talvez, o futuro – do esperançoso e do curioso.

leitura-de-maos

Assuntos Relacionados
Artigos · Cultura · Destaques · Educação e Cultura

Comments are closed.