out 29, 2014
206 Visualizações
0 0

Os melhores enredos de carnaval até hoje

Publicado por

 

“Quem não gosta de samba, bom sujeito não é, é ruim da cabeça ou doente do pé”, já dizia o músico Dorival Caymmi. Como este tema, muitos outros foram inesquecíveis e são lembrados até hoje. Conversamos com Newton Mendonça, sócio fundador do Camarote Lounge Folia Tropical e relembramos alguns samba-enredos que fizeram história. Confira!

Império Serrano – “Aquarela Brasileira” (1964)

Em época de Ditadura Militar, o samba-enredo composto por Silas de Oliveira possui várias reedições. É uma homenagem ao clássico “Aquarela do Brasil”, de Ary Barroso, contando em versos a respeito das regiões geográficas, da arquitetura tradicional e moderna e das lendas e costumes das diferentes culturas dos povos que compõem a nação.

União da ilha do Governador – “É hoje o dia” (1982)

Samba composto por Didi e Mestrinho, cujo enredo foi desenvolvido pelo carnavalesco Max Lopes, em 82. É uma história baseada na obra do cartunista Lan, famoso por retratar a alegria do carnaval. Por ser um dos mais populares samba-enredo de todos os tempos, e para dar força a escola, foi reeditado para sua apresentação no carnaval 2008, agora com um novo carnavalesco: Jack Vasconcelos e rebatizado como: É hoje o dia.

Mangueira – “Caymmi mostra ao mundo o que a Bahia e a mangueira têm” (1986)

Nem precisa dizer que Dorival Caymmi foi referência para o tema enredo. Ele compunha inspirado pelos hábitos, costumes e tradições do povo baiano. “Tem xinxim e acarajé, tamborim e samba no pé”, lembra-se do refrão?

Imperatriz Leopoldinense – “Liberdade, liberdade, abre as asas sobre nós” (1989)

O título do samba é uma citação ao refrão do Hino da Proclamação da República. O samba fala sobre a abolição da escravidão mencionando justamente a lei assinada pela princesa Isabel onde houve a ruptura dos pesadelos dos escravos e uma nova vida de liberdade para eles.

Salgueiro – “Explode Coração” (1993)

Há pouco mais de 20 anos, a Salgueiro entrou na avenida e eternizou com seu desfile “Peguei um ita no Norte”, que contava a história da viagem costeira entre Belém e o Rio de Janeiro, feita a bordo do vapor “Itapé”. Samba-enredo composto por Demá Chagas, Arizão, Bala, Guaracy e Celso Trindade. Desenvolvido pelo carnavalesco Mário Borriello.

Como é bom voltar no tempo, não é mesmo? Ainda mais se for pra falar de música, ou melhor, de samba. Até quem não tem o verdadeiro samba no pé, jamais esqueceu esses temas de samba-enredo. Eles serão para sempre lembrados seja pelos carnavalescos ou pelos foliões. Agora vamos aguardar ansiosamente para contemplar os sambas-enredo do próximo carnaval! E para você não ficar de fora dessa grande festa, adquira já o seu ingresso para o carnaval de 2015!

Texto cedido por Raphaela Aleixo

Assuntos Relacionados
Andrielle Bressane · Colunistas · Música

Comments are closed.