nov 25, 2014
727 Visualizações
0 0

Você sabe quais são as doenças cerebrovasculares?

Publicado por

 

O cérebro é uma das partes do corpo humano mais importantes, pois é a central de todo o comando do sistema nervoso e demais órgãos. Pouco se sabe sobre a sua real capacidade e as possibilidades de cura de doenças cerebrais,

embora avançadas em alguns casos, em outros nada se sabe. Algumas das doenças cerebrovasculares mais comuns são:

Alzheimer

É uma doença neurodegenerativa causada pela perda da capacidade intelectual. Inicialmente, a perda da memória causa um grande desconforto, até mesmo para os familiares. Porém, em uma fase mais adiantada, o indivíduo que sofre de Alzheimer perde também a capacidade de auto-crítica, apresentando quadro de demência e problemas motores. Existem remédios que amenizam a doença, como por exemplo, calmantes, neurolépticos e anticolinesterásicos. Quanto antes for detectada, aumentam as chances de retardar seu avanço, prolongando-se a qualidade de vida.

Parkinson

Considerada outra doença neurodegenerativa crônica e progressiva. Geralmente afeta pessoas com idade avançada, o que não significa que os jovens não devam se manter atentos. Seu principal dano é a perda significativa dos neurônios do sistema nervoso central (SNC), em uma determinada área do cérebro. Medicamentos, alimentação saudável e exercícios podem melhorar consideravelmente os efeitos colaterais da doença.

Esclerose Múltipla

Caracterizada por placas disseminadas em todo o sistema nervoso central, pode levar a um quadro neurológico variado, com remissão e/ou exacerbação das manifestações clínicas, de acordo com cada paciente. Os sintomas começam a

aparecer entre os 25 e 30 anos de idade, sendo mais comum nas mulheres. Os sintomas são sensibilidade, fraqueza muscular, perda da capacidade de locomoção, distúrbios emocionais, incontinência urinária, queda de pressão, intensa

sudorese, diplopia (quando há acometimento do nervo óptico), dentre outros.

Acidente Vascular Cerebral (AVC)

Um problema neurológico que já atingiu e ainda atinge muitas pessoas. Geralmente, é decorrente de uma obstrução ou rompimento dos vasos sanguíneos cerebrais, causando uma hemorragia interna. Seus sintomas são dificuldade de

movimentação dos membros de um mesmo lado do corpo, dificuldade na fala ou articulação e déficit visual. Para que o risco de sequelas seja significativamente reduzido, a vítima deve ser levada imediatamente ao hospital ou logo que apresentar sintomas de um AVC.

Epilepsia

É uma alteração na atividade elétrica do cérebro, involuntária, temporária e reversível. Não é uma doença propriamente dita, mas um sintoma que pode aparecer em diferentes formas, que pode levar a manifestações motoras, sensitivas, sensoriais, psíquicas ou neurodegenerativas. Pode também lesar alguns neurônios e causar traumatismos cranianos, cicatrizes cerebrais, traumatismo de parto e interrupção do fluxo sanguíneo para o cérebro. O tratamento pode ser feito com medicamentos que evitem as descargas elétricas cerebrais anormais e medidas de precaução. Alguns cuidados devem ser tomados ao socorrer uma pessoa que entra em crise epilética, como por exemplo colocar o indivíduo de costas em um local confortável e retirar de perto objetos que possam machucá-lo.

Huntington

Pouco conhecida pela população, é hereditária e rara. Atinge, em média, de 3 a 7 indivíduos a cada 100.000 habitantes. É caracterizada por movimentos rápidos, involuntários e bruscos dos braços, pernas e face. Em seu tratamento, são indicados medicamentos como bloqueadores dopaminérgicos. Segundo Eduardo Manuel, neurocirurgião da empresa de materiais cirúrgicos, Axiste, o índice de cirurgias relacionadas a doenças tende a diminuir, graças às pesquisas com células tronco e os avanços na medicina molecular. Para prevenir qualquer tipo de doença cerebral, faça check ups regulares, e procure manter um estilo de vida saudável. É bom pra cabeça!

Assuntos Relacionados
Saúde e Bem-Estar

Comments are closed.